Trabalho
18/05/2017 - 07h25

Sex shop oferece emprego de R$ 2 mil para testadores de produtos eróticos


Loja na Tijuca procura homens e mulheres para avaliar novidades do mercado erótico e orientar clientes sobre os produtos

 
O desemprego que aflige 14 milhões de brasileiros pode se tornar a oportunidade de conquistar o que alguns, como a modelo Nubia Oliiver, consideram o emprego dos sonhos. Uma sex shop na Tijuca está procurando testadores para produtos eróticos a fim de orientar melhor os clientes na hora da compra. O cargo oferece salário de R$ 2 mil, mais benefícios e privacidade garantida. 
 
"O funcionário tem que descrever as sensações, gostos, aromas, textura, resistência e intensidade. Falar se o produto vibra, esquenta. Além de ter curiosidade em explorar novas possibilidades com o brinquedo", explica Alexandre Azevedo, dono da loja. Com base nos depoimentos dos testadores, a loja escolherá os melhores produtos para recomendar aos clientes. 
 
O empresário conta que há cinco anos ele e a mulher testavam os produtos antes de colocá-los à venda. Contudo, como o volume de mercadorias aumentou, surgiu a necessidade de ter duas novas pessoas no time. "E também tem muita coisa que a gente não topa", diz.  
 
A lista de produtos que deverão ser testados é bem variada e inclui: bomba e anel peniano, vibradores, estimulador de próstata, bomba para mamilo e diversos tipos de gel. "A gente recebe lançamento todo mês. Vamos mandar entre três a cinco produtos por mês para avaliação", explica o empresário.
 
Alexandre ressalta que é importante a pessoa ter curiosidade e não ter pudores em explorar o brinquedo. "Um vibrador para casal, por exemplo, o fornecedor prometia somente estímulo para a dupla, mas nos nossos testes, descobrimos que ele serve também para massagear, como um anel em volta do pênis, e uma série de coisas que a gente só descobriu testando."
 
De acordo com Alexandre, o objetivo em preencher as vagas é ganhar a confiança do consumidor. "A gente tem o exemplo clássico da bomba peniana com diversos anúncios fantasiosos na Internet. O cliente compra, mas se frustra. Ele precisava saber como funciona o produto", ressalta o empresário.
 
Perfil desejado 
 
Para se candidatar, é necessário ser maior de 21 anos e ter o segundo grau completo. São requeridos bom conhecimento de Língua Portuguesa, capacidade de se expressar com fluência. Como a loja remete produtos para todo o país, não é necessário morar no Rio de Janeiro.
 
Os candidatos devem ter parceiros, mas não há exigência de gênero ou orientação sexual. "Os candidatos não precisam ser heterossexuais. O importante é que tanto o homem, como a mulher saibam se expressar bem, pois a função exige uma resenha em texto com as funções dos produtos."
 
Quem quiser se candidatar à vaga tem até o dia 30 de junho para mandar um texto de até cinco linhas para contato@sexshoptijuca.com.br explicando por que está habilitado a ser um dos testador da sexy shop. 
 
O resultado da seleção será divulgado no dia dia 5 de julho.
 
Famosas aceitariam a vaga
 
A funkeira Renata Frisson, a Mulher Melão, diz que se fosse a escolhida, a primeira coisa que testaria seria o vibrador mais moderno. "Eita empreguinho bom, ainda mais que tô na fase do novinho de 23, já pensou?", brinca a modelo.
 
A modelo Nubia Oliiver disse que a oportunidade é o "empregos dos sonhos". "Eu sempre recebo desde roupas, gel, brinquedos que alguns sex shops me mandam.Na fase de solteira e com inverno chegando esse emprego cairia como uma luva pra mim!", afirma a famosa.
 
Para  Chris Martins, vencedora do reality "Casa das Pimentinhas" o trabalho é um "parque de diversão dos adultos com entrada franca". Capa da revista Sexy de abril, Chris conta que adoraria testar alguns tipos de gel. "Só pra ver se é tudo isso que prometem mesmo."
 
 
O Dia