Esportes
11/10/2018 - 04h45

Conheça o lutador de Muay Thai de Itanhaém que é surdo e bicampeão paulista


Ronaldo cresceu vendo as lutas até que sua mãe pediu para ele treinar com os outros meninos


 
Ronaldo Juliano, 20 anos, é mais uma prova de que não há barreiras para se praticar qualquer esporte. Ele é surdo e luta Muay Tai há três anos. Como não existe categorias para atletas com deficiência neste esporte, o morador de Itanhaém não luta em categorias especiais. 
 
Conhecido como "Ronaldo sem ideia", ele luta há três anos na academia de Eduardo Vieira, a Tailan Boxe, de Itanhaém, e coleciona o título de bicampeão paulista e vice-campeão brasileiro da categoria.
 
O começo da relação entre Ronaldo e Muay Thai não começou quando ele teve a oportunidade de treinar com os outros lutadores. Ela vem desde pequeno, quando ele ficava na rua, na frente da academia, e ficava olhando os lutadores na acadêmia de Eduardo.
 
"Tenho uma academia na rua da casa dele. Desde pequeno o Ronaldo sempre ficava na porta mostrando muita curiosidade. Quando ele tinha 17 anos, três anos atrás, a mãe dele me chamou para conversar e perguntou se ele poderia treinar com outros garotos, pois era o sonho dele era lutar. Eu disse que sim, mesmo eu não sabendo libras, iria fazer o possível para que ele entendesse o treino. Até brinquei que iria tornar o filho dela um campeão."
 
Realmente foi isso que aconteceu. Em apenas três anos de prática da arte marcial, Ronaldo conseguiu conquistar dois títulos nas cinco competições que participou. "Ele é campeão paulista. Ganhou o título em Bragança. E foi vice-brasileiro, também lá".
 
Adaptação ao esporte
 
Por apresentar uma deficiência auditiva, a tendência era de que Ronaldo mostrasse alguma dificuldade para praticar a luta. Aconteceu exatamente ao contrário.
 
"Ele se adaptou muito rápido ao esporte. Não mostrou dificuldade nenhuma. Foi até mais fácil que outros atletas (sua adaptação). Ele observa e leva o esporte muito a sério. Acho que a sua deficiência faz com que ele tenha os outros sentidos muito apurados, então, ele começou a treinar e fazer perguntas sobre os mínimos detalhes dos movimentos. Os outros atletas que treinam comigo não reparam nesses detalhes que ele vê."
 
Atualmente, Ronaldo está com a terceira graduação no Muay Thai. São nove no total.

 
Comunicação nas competições
 
Todas as táticas, correções ou ideias para vencer a luta, durante a sua realização, são feitas pelos gritos do treinador. Por não escutar a voz do técnico, a comunicação com Ronaldo é feita apenas durante o intervalo.
 
"Lutar com outros atletas sem deficiência é difícil. Há três semanas, ele lutou em Santos, no Portuários, e passamos dificuldades. O Eduardo enfrentou um atleta mais experiente e sentiu a pressão, porque a comunicação durante o round é no grito. A pessoa tá lutando e a gente fica na beira do ring passando as orientações. Com ele, tenho que aguardar a luta ir para intervalo para passar as instruções. Como eu não tenho conhecimento de libras, nossa maior dificuldade é que o até intervalo pode acontecer um nocaute".
 
O treinador de Ronaldo revelou que tem um sonho com Ronaldo, mas ele está muito além das lutas e das medalhas que ele pode conquistar no esporte. "Olha, eu vou ser sincero pra você. Meu maior sonho com o Ronaldo é trona-lo um grande cidadão. Quero deixar ele muito mais que um atleta. A vitória dele é dia a dia.Não é apenas no ring. Ele é um bom menino".
 
Ronaldo divide seus treinos em dois lugares diferentes. Segunda, quarta, sexta e sábado ele se prepara na Tailan Box. Terça e quinta no projeto da Prefeitura de Itanhaém chamado "Aqui Esporte".
 
 
Diego Palma / A Tribuna On-line