Cidades
14/12/2020 - 09h11

Relatório de censo da população de rua de Santos será apresentado nesta terça


Este é 4º censo realizado no Município – o último, em 2013, constatou 797 pessoas vivendo nas ruas


 
O relatório preliminar do censo sobre população em situação de rua, que vai abastecer a Prefeitura de Santos de informações fundamentais para traçar políticas públicas a essas pessoas, será lançado nesta terça-feira (15), das 9h às 12h, em evento on-line a ser transmitido no Youtube, pelo canal oficial da Cidade e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) – Campus Baixada Santista.
 
A instituição de ensino é parceira da Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) neste trabalho, iniciado em 2018 a custo zero para a Administração Municipal.
 
Este é 4º censo realizado no Município – o último, em 2013, constatou 797 pessoas vivendo nas ruas.
 
O evento é aberto a estudantes, trabalhadores da rede, gestores.
 
Além de representantes da sociedade civil organizada que participaram do processo de pesquisa e extensão; imprensa e público em geral.
 
Quem quiser certificado de participação pela universidade, pode se inscrever neste link.
 
A inscrição não é obrigatória.
 
O relatório conta com número de moradores em situação de rua, regiões da Cidade com maior presença, número de assistidos nos serviços municipais de acolhimento.
 
Condições de vida e de saúde, desigualdades sociais.
 
Além de cor e etnia, idade, trabalho e renda.
 
Público-alvo
 
A pesquisa censitária, cujo trabalho teve articulação do poder público, universidade, sociedade civil e pessoas que vivem nas ruas, teve público-alvo composto por pessoas maiores de 18 anos vivendo nesta situação nas ruas e as que são assistidas nos serviços de acolhimento.
 
A realização de censos de forma periódica no Município foi um compromisso firmado no decreto do Programa Novo Olhar, da Seds, explica a coordenadora do programa, Juliana Laffront.
 
“O objetivo do censo é compreender quais são as características das pessoas que vivem nas ruas no Município. Para que possamos pensar e planejar o direcionamento e redimensionamento dos serviços e do trabalho ofertado a esse público”, disse ela. Ressaltou ainda que a realização da pesquisa cumpre a Política Nacional para a População em Situação de Rua (decreto federal 7.053), que determina aos municípios que se mobilizem na realização de censos periódicos dessa população.
 
Participação e etapas
 
O projeto foi construído de forma coletiva em todas as etapas, com a participação de técnicos da Seds e das secretarias de Saúde (SMS) e de Segurança (Seseg); estudantes de Serviço Social e Terapia Ocupacional da Unifesp; e sociedade civil.
 
Inclusive de grupos que fazem doações nas ruas.
 
Contou ainda com bolsistas do Programa Fênix que estavam ou estiveram em situação de rua, que também participaram como pesquisadores.
 
Para o censo, uma série de encontros públicos foi realizada entre 2018 e 2019 no intuito de traçar a proposta e seu desenvolvimento.
 
Do trabalho, foi criada a ‘Comissão Vida nas Ruas’, composta por trabalhadores dos serviços da Prefeitura, pessoas que vivem nas ruas, professoras e estudantes da universidade e sociedade civil.
 
 
Da Redação